/ comunicadores

Que saudade dos Fóruns...

Comunicadores instantâneos, como o WhatsApp, mudaram a vida de muitas pessoas que passaram a se comunicar de maneira mais rápida, eficiente e, principalmente, mais barata.

Em um primeiro momento, aplicações deste tipo foram substituindo as mensagens enviadas via SMS, e, com o tempo, foram ganhando cada vez mais recursos. Hoje ameaçam o negócio das próprias operadoras de telefonia ao oferecerem ligações de voz e vídeo a um custo muito mais baixo.

Tecnologias como o XMPP e IRC estão cada vez menos populares, tanto em ambientes corporativos quanto entre as comunidades de desenvolvimento e tecnologia. A comunicação que se dava no passado através de fóruns de discussão, listas de e-mail e IRC, hoje está cada vez mais concentrada em grupos de aplicativos como WhatsApp, Slack e Telegram.

Como era de se esperar, profissionais de tecnologia estão entre os primeiros que abraçaram a ideia de poder se comunicar através de aplicativos que tiravam proveito da ubiquidade que os smartfones ofereciam.

Mas se por um lado ganha-se em agilidade, por outro, perde-se muitas outras coisas. A primeira delas é a quantidade de mensagens e notificações que são recebidas no celular para mensagens que quase sempre não dizem respeito a você.

Em segundo lugar, é muito comum ver as mesmas perguntas ressurgirem inúmeras vezes, uma vez que o histórico dessas conversas se perde de maneira muito fácil.

As listas de e-mail existem desde os primórdios da Internet, quando pesquisadores se comunicavam através de mensagem, mas quando a web surgiu, até mesmo elas passaram a ser públicas de forma que seu conteúdo pudesse ser indexado por ferramentas como o Google e o histórico fosse facilmente preservado.

O mesmo acontecia com os fóruns de discussão. Era frequente se deparar com mensagens de que o usuário deveria buscar pela pergunta que gostaria de fazer antes de postá-la, uma vez que as chances de alguém já ter respondido a mesma pergunta eram quase sempre muito altas.

Os fóruns traziam ainda a vantagem de categorizar os temas de uma maneira que possibilitava que você conseguisse acompanhasse apenas um determinado tópico que, por ventura, lhe interessasse mais.

Enfim, tudo isso pode até ser saudosismo, mas a verdade é que no passado as pessoas pareciam saber diferenciar melhor que tipo de conteúdo se adequava aos meios disponíveis. Hoje, pode até ser mais fácil sacar o celular e fazer aquela pergunta na comunidade do Facebook. A resposta até virá mais rápido, no entanto, tenho a impressão de que perdemos em profundidade na mesma medida em que ganhamos em agilidade.

A prova de que os fóruns ainda têm o seu lugar no mundo é o Stack Overflow, que não passa de um fórum que soube incorporar como ninguém recursos de redes sociais para alavancar ainda mais o objetivo a que se destina.

Texto publicado originalmente na coluna Post do Kemel na revista Locaweb #72